Depoimentos de Clientes

Perguntas Frequentes Sobre Leituras de Tarot

01.

O que é o Tarot?

O Tarot é um baralho de 78 cartas, composto por 22 Arcanos Maiores e 56 Arcanos Menores, estes divididos em 4 naipes de 14 cartas.

Não há dados históricos suficientes pra afirmarmos categoricamente quem é o criador deste baralho ou qual a origem exata do Tarot. As primeiras referências a um baralho de 78 cartas e ao nome Tarot datam do século 14. Suas imagens e significados são de extrema profundidade, o que nos leva a crer em uma criação coletiva de seu próprio tempo: o Renascimento europeu.

Embora com identidade claramente medieval e Renascentista, ainda assim suas figuras simbólicas evocam conceitos suficientemente universais pra podermos encontrar neles o conceito anacrônico ao baralho e contemporâneo à nós: os Arquétipos, conceito elaborado inicialmente por C. G Jung. Assim, é possível relacionar os significados das cartas com momentos de nossa própria vida, por suas imagens representarem figuras universais.

02.

O que é o Lenormand?

O Lenormand, também conhecido como Baralho Cigano, é um baralho um pouco menos antigo que o Tarot. Há quem diga que é uma derivação do Tarot, há quem interprete que foi uma criação paralela, há quem diga que sequer tem origem cigana. Independente disso, é assim que este baralho é conhecido. Porém eu opto sempre por chamar primordialmente de Lenormand, porque existem outros baralhos ciganos. Todo baralho Lenormand pode ser chamado de baralho cigano, mas nem todo baralho cigano é o Lenormand. O fato é que sua criação é atribuída à Madame Lenormand, no século 18, sendo portanto contemporânea da Era das Grandes Navegações. O que se percebe claramente por algumas figuras bastante típicas, tais como o Navio e a Âncora.

03.

Como funcionam as Leituras Oraculares?

No meu paradigma, que segue uma inegável influência dos estudos de C. G. Jung, o que possibilita que as cartas escolhidas pra darem a resposta à pergunta feita pelo consulente é o conceito de Sincronicidade.

A mente racional está costumada a trabalhar com o conceito de Lei da Causalidade, quando um fato anterior provoca uma consequência posterior.

Porém, a intuição trabalha mais com o conceito de Lei da Sincronicidade, um fenômeno que ocorre quando dois eventos, aparentemente desconexos, se conectam pelo significado que possuem.

O trabalho de oraculista é fazer essa ponte entre a mente racional e a intuição, ajudando a traduzir as mensagens das cartas escolhidas pela sincronicidade, com as respostas das perguntas feitas pelo consulente. Ou seja, todo oraculista é um tradutor do inconsciente coletivo e está sujeito ao seu próprio espírito do tempo. Por isso, a import​ância de escolher um oraculista cuja filosofia combine com a sua, pois assim o profissional saberá respeitar sua ética, suas escolhas e suas dores.

04.

Como escolher um bom oraculista?
  • Fique atento ao conteúdo gratuito. Um oraculista homofóbico, racista, e machista no conteúdo gratuito, incluindo suas redes mais informais, fará leituras tão preconceituosas quanto sua moral conservadora;

  • Desconfie de oraculistas que não se posicionam nunca sobre nada. Quem está descolado do mundo atual vai ler fantasias e propor conselhos irrealistas;

  • Desconfie de oraculistas que prometem milagres ou trazer seu amor em 3 dias. Nem entro na questão se a pessoa consegue realmente cumprir o que promete ou não, mas chamo atenção pra ética de quem se propõe a incentivar que o consulente foque em realização de desejos imediatistas e não no incentivo à saúde mental e emocional do consulente.

05.

Como são suas Leituras Oraculares?

A característica mais marcante e o maior diferencial no meu estilo de leitura de cartas oraculares é que durante as tiragens faço a combinação entre o Tarot, o baralho de 78 cartas, com o Lenormand, também chamado de Baralho Cigano, de 36 cartas. 

Além disso, tenho uma abordagem que respeita a origem, raça, credo, classe social, orientação sexual, orientação de gênero e até posicionamento político. Só não respeito fascista, por questão de autoproteção e pra minha própria saúde mental e emocional.

06.

Por que combinar Tarot e Lenormand na mesma leitura?

Desenvolvi esse método que combina dois baralhos na mesma tiragem, porque o Tarot é mais filosófico, cheio de subtons, trazendo profundidade e sutilezas pra leitura. Já o Lenormand, também conhecido como Baralho Cigano, é mais direto, preto no branco, e isso traz clareza pra leitura.

Com a combinação de ambos, consigo ter uma noção maior sobre o assunto a ser abordado na tiragem, o quanto ele é sensível pro consulente, além de ter uma ideia mais clara sobre o tom necessário pro conselho, resultando numa leitura mais acolhedora e empática.

07.

Quais os tipos de leitura disponíveis?

Nas Leituras Oraculares que faço, sempre combinando Tarot & Lenormand, disponibilizo basicamente 2 tipos de tiragens: Perguntas Individuais e Mandala Completa.

  • As Perguntas Individuais podem ser uma pergunta única ou combo de 2 ou 3 perguntas e podem ser sobre quase qualquer assunto. O mais comum é serem questionamentos sobre relacionamento romântico e carreira, mas já surgiram perguntas sobre saúde, relacionamento familiar, finanças e até caminho espiritual. Cada pergunta costuma ser respondida em meia hora.

  • Já a Mandala Completa aborda 12 assuntos específicos e já pré-definidos sobre a vida do consulente. Revela como os problemas o afetam e indica maneiras saudáveis de lidar com esses desafios. Devido à complexidade, essa tiragem costuma durar cerca de 2h.

08.

É melhor fazer perguntas abertas ou específicas?

O consulente pode querer testar a mim ou ao oráculo e não querer abrir o assunto a ser consultado. Entendo e respeito essa curiosidade ou desconfiança.

Porém, logo no começo o consulente percebe que, quanto mais especifica for a pergunta, melhores serão os conselhos, pois a mesma carta terá significados diferentes numa tiragem sobre o profissional ou sobre relacionamento, por exemplo. Ou sobre um relacionamento de longa data ou um flerte.

09.

Qual o intervalo ideal entre uma pergunta individual e outra?

O intervalo entre as tiragens de perguntas depende do assunto abordado. Por exemplo, se forem assuntos diferentes, podemos fazer um rosário de perguntas, sem limites. Mas, sobre o mesmo assunto, é indicado aguardar que o cenário tenha mudado, seja porque o consulente agiu pra mudar o cenário anterior, seja porque as situações mudaram por si só desde a última vez que esse assunto foi abordado.

Não é proibição, nem superstição. É só que cada vez que repetimos uma pergunta já feita anteriormente, a resposta do Tarot tende a ser mais clara e mais direta e, portanto, menos sutil. É na clarificação das cartas que o Tarot Sincerão vem de voadora no peito e chute na cara. e não gosto de dar voadora em ninguém, por isso prefiro repetir perguntas só depois de ter certeza de que a situação mudou.  

10.

Qual o intervalo ideal entre uma Mandala Completa e outra?

A Mandala Completa abrange as fluências de, pelo menos, os próximos 6 meses. Revela como os problemas nos afetam, como estão conectados sistemicamente e indica maneiras saudáveis de lidar com esses desafios. Como são muitos assuntos interconectados, geralmente leva um tempo até o consulente sentir na prática as fluências apontadas na Mandala e conseguir aplicar as mudanças sugeridas, a ponto de sentir que a situação de fato se alterou e que vale a pena fazer uma nova Mandala. Porém, nada impede o consulente de fazer novas consultas pra questões específicas, inclusive pra conseguir colocar em prática as sugestões levantadas pela Mandala.

11.

Como é uma leitura de Pergunta Individual?

O consulente precisa me dizer ao menos o assunto geral pra iniciarmos a leitura. Pois muitas das cartas terão interpretações diferentes quando lidos pra uma tiragem de relacionamento, pra saúde ou pro lado profissional, pra carreira. Na verdade, até mesmo se a pessoa está solteira ou em um relacionamento, já muda bastante.

Em seguida, tiro um número definido de cartas, considerando posições com significados específicos, também pré-definidos. Escolho a quantidade de cartas e tipo de tiragem conforme a pessoa me disser qual a natureza da tiragem, entre Gibi, Templo de Afrodite e Peladan.

Faço uma primeira interpretação das cartas que a sincronicidade trouxe pra mesa e pergunto se fez sentido ou não. Geralmente, é nessa hora que a consulente entende que, se abrir os detalhes da situação, os conselhos serão mais precisos. Faço então uma segunda leitura da mesma mesa, já com mais clareza do cenário e precisão dos conselhos. Por fim, após as recomendações finais, tiro fotos da mesa e envio um pequeno resumo da tiragem.

12.

Como é uma leitura de Mandala Completa?

Nessa tiragem, abordo 12 assuntos na vida do consulente, a saber: 1- sua personalidade; 2- finanças, desejos; 3- comunicação, relações cotidianas; 4- lar, família, ancestralidade; 5- lazer, filhos, talentos; 6- cotidiano, saúde, disciplina; 7- relacionamento amoroso; 8- o que precisa ser transformado; 9- estudos, viagens, religiosidade; 10- carreira, trabalho, fama; 11- amizades, relações sociais, papel social; 12- inconsciente, saúde mental, espiritualidade.

Normalmente, o assunto que está tirando o sono do consulente surge em 3 ou 4 casas (por exemplo: na área profissional, no lar, na saúde e no financeiro) já que, na prática, nossa vida é sistêmica e os assuntos conversam entre si.

Faço uma primeira interpretação das cartas que a sincronicidade trouxe pra mesa e pergunto se fez sentido ou não. Geralmente, é nessa hora que a consulente entende que, se abrir os detalhes da situação, os conselhos serão mais precisos. Faço então uma segunda leitura da mesma mesa, já com mais clareza do cenário e precisão dos conselhos. Por fim, após as recomendações finais, tiro fotos da mesa e envio um pequeno resumo da tiragem.

13.

É possível falar com espíritos de falecidos ou com entidades não encarnadas através do seu Tarot?

Admito que até faço esse tipo de leitura pra mim mesma, por experimentalismo, pra falar com meus guias e ancestrais, mas não tenho preparo espiritual nem conhecimento suficiente nessa área pra fazer isso pra outra pessoa. Pra esses casos, recomendo que procure uma Mãe de Santo, uma liderança espiritual mais experiente, uma casa espírita, um espaço que tenha as disciplinas espirituais, o sacerdócio, as firmezas e rezos adequados pra esse tipo de atendimento. Não vou poder te ajudar nesse caso, porque não seria responsável da minha parte.

14.

Você faz trabalhos mágicos baseados nas leituras de Tarot?

A resposta é similar à da pergunta anterior. Não trabalho com magia pra terceiros justamente porque não tenho vocação pra sacerdócio, nem tenho a disciplina e firmezas adequadas pra esse tipo de atendimento. faço meus compromissos pra minha própria limpeza e proteção energética, não pra sustentar um trabalho espiritual mais aprofundado. Pra esses casos, recomendo que procure alguém necessárias e ofereça esse trabalho em seu portifólio. Não vou poder te ajudar nesse caso, porque não seria responsável da minha parte.

Quem é a Keikolina?

perfil_keikolina-compacto.png

De onde eu saí?

Sou Brasileira, nascida em São Paulo, a terceira filha de uma união interracial. Minha mãe é nascida no Japão e meu pai é de raiz portuguesa, uma família estabelecida há muitos séculos no Brasil.

Nasci com Lábio Leporino e, embora isso hoje já não pese mais nas minhas interações sociais, o fato foi bastante relevante na minha infância e adolescência, pois fiz 4 cirurgias plásticas funcionais pelo SUS, com direito a acompanhamento anual por 18 anos. 

Isso, e o fato de ser filha de pais separados, caso raro na minha infância dos anos 80, fez com que eu crescesse bastante introspectiva, sensível e com um alto grau de empatia, especialmente com pessoas fora do padrão normativo, assim como eu me sentia.

keikolina-baby.jpg
Keikolina-bio6.jpeg
perfil_keikolina-compacto.png

Qual é a minha?

Com Sol em Gêmeos, Ascendente em Câncer e Lua em Libra, tenho esse jeito comunicativo, acolhedor e diplomático de abordar assuntos delicados.

Minha principal preocupação nos atendimentos é fazer leituras que sejam sensíveis e empáticas, mas que, ao mesmo tempo, proporcione reflexões que promovam o autoconhecimento do consulente e tragam ferramentas práticas pra superar os desafios que se apresentam nas interpretações, tanto oraculares, quanto de Mapa Astral.

É frequente que essas ferramentas sugeridas sejam lúdicas, se afastem da interpretação racional e procurem estimular os 5 sentidos. Pois a intenção é ajudar o consulente a trabalhar sua comunicação com o próprio inconsciente. Há quem pense que se trata de coisa de hippie. Mas eu prefiro vê-los como ferramentas de autoconhecimento ou, pra quem gosta de um tom mais místico, como ferramentas de Psicomagia.

perfil_keikolina-compacto.png

Por onde passei?

Além de taróloga, sou ilustradora, designer e, acredite, já fui editora de histórias em quadrinhos! Se você foi adolescente entre os anos 2004 e 2014, muito provavelmente já leu algum mangá editado por mim, pois eu encabeçava a equipe Planet Mangá, da editora Panini, nesse período! Sim! Eu sou a tal de "Elza Keiko do Planet Mangá"!

Saí da redação porque passei por um processo de bournout, pela dedicação sobre humana que despejava na redação, que comprometeu minha saúde física e mental. Quando me percebi tendo um comportamento autodestrutivo comigo, com minha equipe e até com minha família, percebi que era hora de deixar a edição de mangás pra trás. Por causa dessa estafa, também fiquei muitos anos sem desenhar ou desenhando erraticamente.

Keikolina-bio3.jpg
perfil_keikolina-compacto.png

Como a marca Keikolina nasceu?

Ao sair da editora, comecei um empreendimento com a Keikolina, então uma marca de bonecos artesanais. Posteriormente foquei em bonecos de pelúcia que não se encontra em lojas convencionais. Foi um tempo muito divertido!

Paralelamente, vivi uma separação matrimonial, que me forçou a repensar os rumos financeiros. Pois, com a partilha de bens, precisei voltar a pagar aluguel. Às duras penas, tive de reconhecer que a vida de bonequeira personalizada não era sustentável financeiramente. 

Nessa revolução da vida, resolvi realizar um antigo sonho, sair da Grande São Paulo. A cidade escolhida foi Paraty, onde já residia meu atual namorado e companheiro de aventuras, Eá.

Juntos mantemos a Casa Ererré, um quarto extra na nossa casa, destinado a receber hóspedes pelo Airbnb. Inclusive, você é bem vindo a se hospedar conosco! Veja como no menu Airbnb.

escolhemos o termo "Ererré" pra nomear nossa casa por ser uma saudação e uma benção na lingua krenak, o idioma falado pelo povo Borum-Krenak, etnia de meu companheiro. 

perfil_keikolina-compacto.png

Como cheguei no Tarô?

Coleciono livros sobre Tarot comprados em sebo desde a adolescência. Amava a estética e o mistério das cartas. Achava que o baralho conversava comigo, mas eu que não conseguia entendê-lo. Aliás, sempre senti que as coisas simbólicas queriam falar comigo, eu é que ainda não tinha habilidade pra compreender o que elas diziam.

A criança que cresceu acreditando ver fadas no sítio onde morou com os avós; a adolescente que mergulhou no estudo das artes plásticas, como se a existência dependesse disso; a jovem adulta que estudou Comunicação Social e Publicidade e Propaganda, que só queria transformar o estudo da comunicação em sustento; a editora de quadrinhos que acreditava ter a honra de ser a primeira mulher a editar mangá no mar de machismos do mercado de quadrinhos brasileiros; a empreendedora e artista plástica teimosa que se recusa a aceitar a derrota... Essa pessoa de tantas facetas colecionou algum repertório ao longo de toda essa jornada.

E, em algum momento entre as incontáveis vezes que sentei pra estudar Tarot, comecei a pegar confiança nas tiragens diárias pra mim. Peguei confiança nas tiragens que fazia pras amigas... E, um belo dia, me percebi bilíngue! Agora, falo o idioma da mente consciente, no caso, o Português, e o idioma do inconsciente também.

Keikolina-bio5.jpeg